In Flight - R. K. Lilley

In flight Up in the air #1 R. K. Lilley Sinopse: Quando Bianca, uma reservada comissária de bordo, recebe - pdf za darmo

8 downloads 67253 Views 2MB Size

Story Transcript


In flight Up in the air #1 R. K. Lilley Sinopse:

Quando Bianca, uma reservada comissária de bordo, recebe um olhar do bilionário proprietário de hotéis James Cavendish, ela perde toda a sua compostura duramente conquistada. Para uma garota que pode facilmente manipular uma bandeja de taças de champanhe a 35.000 pés em um salto de 8 cm, ela se encontra surpreendentemente fraca com esse primeiro encontro. Bianca, normalmente imperturbável, não consegue desviar o olhar de seus olhos azul turquesa eletrizantes. Eles mantêm um desafio, e uma promessa que ela acha impossível resistir, e ela é uma garota acostumada a dizer não.

Bianca está acostumada a lidar com supermodelos e estrelas de cinema em seu trabalho como comissária de bordo da primeira classe, mas James Cavendish ganha de todos no departamento aparência. Se fosse apenas a sua aparência intimidadora, que ela acha quase irresistível, Bianca poderia ter ignorado suas atenções. Mas o que nunca lhe aconteceu, e ela tentava escapar, é daquela força dominante que ele mantém sobre ela a desde que seus olhares se cruzaram pela primeira vez, e com a promessa de prazer e dor, que ela lê em seus olhos.

A tradução em tela foi efetivada pelo grupo CEL de forma a propiciar ao leitor acesso parcial à obra, incentivando-o à aquisição da obra literária física ou em formato ebook. O grupo CEL tem como meta a seleção, tradução e disponibilização parcial apenas de livros sem previsão de publicação no Brasil, ausente de qualquer forma de obtenção de lucro, direto ou indireto. No intuito de preservar os direitos autorais contratuais de autores e editoras, o grupo, sem aviso prévio e quando julgar necessário, poderá cancelar o acesso e retirar o link de download dos livros cuja publicação for veiculada por editoras brasileiras. O leitor e usuário fica ciente de que o download da presente obra destina-se tão somente ao uso pessoal e privado e que deverá abster-se da postagem ou hospedagem em qualquer rede social (Orkut, Facebook, grupos), blogs ou qualquer outro site de domínio público, bem como abster-se de tornar público ou noticiar o trabalho de tradução do grupo, sem a prévia e expressa autorização do mesmo. O leitor e usuário, ao disponibilizar a obra, também responderá pela correta e lícita utilização da mesma, eximindo o grupo CEL de qualquer parceria, coautoria, ou coparticipação em eventual delito cometido por aquele que, por ato ou omissão, tentar ou concretamente utilizar da presente obra literária para obtenção de lucro direto ou indireto, nos termos do art. 184 do Código Penal Brasileiro e Lei nº 9610/1998. Abril/2013

CAPÍTULO UM Sr. Cavendish Minhas mãos tremiam um pouco, enquanto eu preparava os serviços de pré-embarque dos assentos da primeira classe. Meu corpo inteiro cantarolava nervosamente, enquanto eu tirava uma garrafa de champanhe da grande gaveta de gelo no fundo do meu carrinho de bebidas. Eu senti, mais do que ouvi o meu melhor amigo, Stephan, abrir a cortina da cozinha atrás de mim. —Hora do show, Abelhinha. — ele disse rapidamente. Eu o senti enfiando alguns cabelos loiros errantes para trás, em meu coque elegante. Apesar de sua agitação, eu sabia que isto era um carinho. Como estávamos partindo da nossa cidade natal, Las Vegas, eu tinha pego um ônibus da sede da nossa companhia aérea diretamente para o avião. Isto significa que temos de ignorar a segurança completamente. Sem detectores de metal, significava grampos. E grampos significava que meu cabelo loiro liso deveria se comportar direito. Mas Stephan era sempre exagerado para cima de mim. Ele era de longe, a pessoa mais carinhosa que eu já conheci. E, certamente, a única que eu permitiria me tocar, mesmo de uma forma casual. Ele tinha ganho esses direitos comigo durante muitos anos sendo meu melhor amigo. Melhor amigo e muito mais. Companheiro constante, confidente, parceiro, antigo colega de quarto, e, atualmente, o meu vizinho. Ele era também meu parceiro na maioria dos vôos. Nós éramos completamente inseparáveis. Havia momentos em que parecia que ele era mais uma extensão de mim , do que uma real pessoa apartada. Estávamos sempre tão próximos. Sim, nós somos co-dependentes um do outro, não havia dúvida, mas tínhamos sido parceiros há muitos anos para operar de outra maneira. Não havia dúvida de que ele era a pessoa mais importante na minha vida. Quando ouvia a palavra família, pensava em apenas uma pessoa, e essa pessoa era Stephan.

— Nós já temos cinco pessoas sentadas na primeira classe. Onde está a minha lista de passageiros? — questionou Eu entreguei a ele sem uma palavra. Eu tinha a lista de passageiros dobrada dentro do meu menu de couro. Eu já tinha olhado para ela. Era essa a razão que as minhas mãos não estavam muito firmes. Não havia outra razão para eu estar tão nervosa. Estava me preparando para um voo noturno, quase vazio, com apenas um serviço mínimo. O único desafio neste voo normalmente seria conseguir ficar acordada. — Você tem que dar uma olhada no 2D. — Stephan dizia com um suspiro exagerado, sonhador. Sua declaração, e aquele suspiro sonhador eram muito diferentes do Stephan usual, mas eu sabia muito bem o motivo da mudança nele. A razão que havia despertado algumas respostas muito diferentes das minhas normais também. — Sim, é o Sr. Cavendish. — eu disse em uma voz firme. Mãos grandes e elegantes alisaram os meus ombros, sobre o uniforme padrão, terno e colete cinza-carvão. —Parece que você o conhece. — Havia uma pergunta em sua voz. —Mmm hmm. — Eu tentei o meu melhor para parecer casual. —Ele estava no voo fretado que eu tive que trabalhar sem você na semana passada. Ele estava reunido com o CEO. Sr. Cavendish é o manda chuva do hotel. Stephan estalou os dedos atrás de mim. Eu finalmente me virei para olhar para ele, levantando uma sobrancelha. Os olhos azuis claros que eu encarei, poderiam ter pertencido ao meu próprio irmão, se eu tivesse um. Na verdade, você poderia dizer o mesmo sobre nós dois em geral. Nosso cabelo dourado loiro era quase do mesmo tom, embora o seu tivesse uma textura ondulada. Os seus eram penteados para trás, e artisticamente desciam apenas após seus ouvidos. Nós dois éramos altos e magros, embora ele me batesse por vários centímetros. Até os meus saltos não faziam diferença. Além disso, nossos traços tinham uma característica nórdica semelhante. Sim, nós poderíamos facilmente passar por irmãos. E eu certamente pensava nele como um irmão. Eu já pensava nele assim por quase uma década.

— Eu já ouvi falar dele! Esse cara é um bilionário! Melissa vai entrar em erupção quando descobrir. Vamos ver o seu apoio e sua bunda aqui na primeira classe, tão logo ela descubra o que temos aqui em cima! Eu tentei abafar uma risada com o visual que ele tinha pintado. E, infelizmente, ele provavelmente não estava tão longe da verdade. Melissa era uma das três aeromoças que trabalhavam na classe econômica dos 757. Nós tínhamos acabado de começar nossa nova programação, com uma nova equipe na classe econômica. Stephan e eu sempre trabalhamos juntos na primeira classe, e continuaria dessa forma, mas nossa tripulação principal mudou em poucos meses. Nossa proposta atual estava programada para durar três meses, e nós estávamos apenas começando a conhecer agora os nossos outros companheiros de voo. Estávamos todos nos dando bem, até agora. Melissa era a mais conhecida personalidade do grupo, e assim, para melhor ou pior, estávamos aprendendo tudo sobre ela primeiro. Ela era uma daquelas meninas que se tornaram comissária de bordo para satisfazer os homens. Ou, mais especificamente, para atender homens ricos. Ela era nova na companhia aérea, por isso ela ainda estava trabalhando presa na econômica. Ou, como ela falava, na favela. Ela cobiçava minha posição de atendimento na primeira classe de voo, ou mesmo a posição de Stephan como comissária de bordo. Stephan e eu iniciamos a nossa pequena parceria como comissários de voos há quatro anos, inicialmente na classe econômica, e por isso, tínhamos anos de antiguidade sobre ela. Melissa tinha começado a trabalhar como comissária de voo talvez há seis meses, o que significa que ela não poderia solicitar uma posição na primeira classe por mais seis meses. E depois, ela não seria capaz de manter uma linha na primeira classe por mais seis meses direto. Em vez disso, ela ficaria de plantão, com uma programação totalmente caótica que não iria permitir quaisquer destinos planejados. E quando ela tivesse uma linha constante, seria a pior linha disponível, com viagens curtas durante a noite, tendo que permanecer em hotéis perto do aeroporto. Desde que eu tinha conhecido varias caça-fortunas, com quem trabalhei ao longo dos anos, nenhuma dessas coisas eram propícias para um planejamento especifico ao ataque de homens ricos.

Melissa tinha sido mais do que sortuda em conseguir pegar a nossa linha pelos próximos três meses. Era uma linha cobiçada, com pernoites regulares semanais em Nova York. Nossa tripulação ficava hospedada em um ótimo hotel, que ficava a menos de dois quarteirões do Central Park. Era uma linha superior, e todos nós ficamos surpresos ao receber este membro júnior na nossa equipe. Mas ela ainda reclamava, muitas vezes apontando que ela foi feita apenas para a primeira classe. Suas constantes queixas já estavam começando a irritar a tripulação. Stephan deu um aperto tranquilizador em meu ombro, antes de ir até a cabine de voo para ter um breve resumo com os pilotos. Este era o principal motivo que Stephan assumiu a posição de liderança, enquanto eu tomei a posição de cozinha de primeira classe. Eu odiava lidar com os pilotos. Stephan os tratava muito bem, muitas vezes lançando que era meu namorado, quando eles demonstravam um pouco de interesse a um nível pessoal na minha direção. Metade das pessoas que trabalhamos, imaginavam que estávamos juntos. Stephan não desmentia isso. Isto era uma escolha pessoal que ele tinha feito há muito tempo, que eu entendi completamente. Ele teve um tempo difícil quando contou para se...

Life Enjoy

When life gives you a hundred reasons to cry, show life that you have a thousand reasons to smile

Get in touch

Social

© Copyright 2016 - 2019 AZPDF.PL - All rights reserved.